CRISE DOS 18, TALVEZ


Estive pensando sobre o fato de meu aniversário ter sido ontem. Um pouco desesperador, talvez, mas enfim.

Penso na pessoa que eu era, na pessoa que eu sou agora, no que eu quero me tornar e a única certeza que eu tenho é que não sou a mesma pessoa de um dia/meses atrás e quem dirá de um ano. Meus pensamentos mudam a cada hora, minhas escolhas ficam mais claras, nem meu cabelo permanece igual.

A cada semana, cada palavra lida, conversa dita e, principalmente, a cada decepção vivida, algo aqui dentro de mim muda em uma velocidade muito rápida. Penso se estou conseguindo fazer a coisa certa, se está tudo "indo como planejado" e agora mudei novamente, vou "planejar menos e viver mais", antes de surpreender do que se decepcionar, certo?

Tem vezes que me imagino sendo a pessoa de um ano atrás e vejo que esse papel não é mais para mim, digo, escolhas que fiz antes hoje faria diferente. Muitas coisas desceram na minha lista de prioridades, pessoas também, confesso - ainda bem. Já pensou que chato não se inovar? Não experimentar e viver coisas novas? Não arriscar de vez em quando? 

Antes minha zona de conforto era inquebrável, sair dela era algo que eu não pretendia fazer tão cedo, mas agora essa enorme bolha foi aos poucos sumindo com ajuda dessa nova eu e estou bem assim. Confesso que todo esse ideal de como viver e medo do mundo lá/aqui fora ainda existe um pouco, no entanto, a meta é não parar de tentar e me reinventar a cada dia.

Concluindo, minha mudança é constante e não pretendo me acomodar.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.