DEIXE QUE VÁ


De repente, se faz silêncio tudo aquilo que gritava. Mas então faz-se barulho a sua cabeça, seus sentimentos mais profundos e angustiantes. 

Tentei gritar, mas percebi que não tinha nada a dizer, então desisti. Não há o que se fazer quando as pessoas decidem tomar rumos diferentes ao seu, falo isso por experiência própria. Pra quê tentar mudar o que já está decidido? De nada adianta querer forçar alguém a permanecer, mesmo que o seu coração doa e acredite, vai doer, mas não vai ser o fim do mundo.

Por vezes tentei me abrir, contar o que estava acontecendo, mas ninguém me ouviu. Chorei, era a única coisa a se fazer no momento, tentar por esse sentimento para fora, mesmo que seja em forma de lágrimas. Acredite, há dor em quem vai e também em quem deixa partir. É, sem dúvidas, desesperador quando alguém decide partir e você não pode fazer nada para reverter a situação. Quando você ainda tem muito a dizer, mas a outra pessoa já não está ali para te escutar falar. 

E então você escreve, numa tentativa falha de, após terminar seu texto, deixar ali toda aquela história e continuar seguindo sem ela. Mas não, nada disso funciona, ou talvez a gente só não queira esquecer, pelo menos por enquanto. 

Deixa aí.
Deixa ir.
Deixa que doa.
Geralmente o sofrimento tem algo a nos ensinar.

Por vezes, agora digo: fique se aqui ainda for sua casa, se ainda vê em mim um lugar de paz, um lugar onde você se sente acolhido após um dia ruim, mas não me deixe esperando por um hóspede que você sabe que não vai mais voltar.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.