SOBRE SE ENCAIXAR NOS PADRÕES


Aos 10 anos eu brincava de boneca o tempo todo, era inocente e fazia tudo que a sociedade exigia que garotas fizessem.

Aos 12 anos eu comecei a presenciar situações desagradáveis, algumas que nem sabia que existiam. eu passei a ser cobrada esteticamente, mas continuei sendo eu mesma apesar da pressão.

Aos 14 anos eu entrei no ensino médio, e depois dos 15, fui obrigada a mudar, passei a alisar meu cabelo, a ter vergonha do meu corpo, dos meus pelos. Mas eu ainda era uma garota boba demais para perceber.

Aos 16 anos, (em maio, 17) eu já tinha entrado na academia por causa do que os outros diziam, já tinha feito inúmeras dietas para emagrecer e insistia em enganar minha insegurança com maquiagem.

Mas eu deixei de ser aquela menina que seguia as outras e que queria ser como as outras.
Aos 16 anos eu comecei a me desconstruir e a ser mente aberta.
Aos 16 eu finalmente percebi que eu não precisava ser alta, magra e nem ter cabelo escorrido.

E agora, após compreender isso e passar a ser eu mesma, minha mãe faz questão de dizer que sou diferente demais das outras garotas, e que eu deveria ser igual a elas. E muita gente concorda com isso. 

Eu a entendo pois ela viveu anos atrás em um contexto muito diferente do meu. mas eu não quero ser igual a ninguém, mãe. só quero ser livre. 

Você também, não precisa fingir, não precisa fazer o que os outros querem, não precisa de nada disso, você só precisa ser você com a total liberdade que tem por direito. 

Texto por: Giselly Silva


2 comentários:

  1. Que texto incrível, depois que passamos a não ligar mais para os padrões que a sociedade tenta nos obrigar a seguir tudo melhora. ♥
    Um beijo!

    www.danyelleloch.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente tudo melhora, a gente passa a não se importar mais com críticas sobre nosso peso, cabelo... e tudo isso de 'não ligar para os comentários alheios' vai nos deixando mais leve e felizes.

      Big Beijooos <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.